Gestão por indicadores financeiros: métricas precisas para sua empresa

Publicado em 10 de fevereiro de 2020 por Valéria França
Gestão por Indicadores Financeiros na construção civil

A Gestão de uma empresa é a chave que determina seus resultados, tanto a curto quanto a longo prazo. Fazer uma análise dos indicadores financeiros é uma forma de medir esses resultados e o desempenho.

Não é preciso usar fórmulas complexas, basta entender as boas práticas. E uma das melhores maneiras de cuidar do seu negócio para decisões assertivas é por meio de indicadores financeiros.

Vamos ver qual a melhor forma para gerenciar um negócio dentre tantas abordagens diferentes. Neste artigo mostrarei o que são os indicadores e como adotar na gestão do seu negócio.

Indicadores financeiros

Os indicadores financeiros mostram por meio de métricas e práticas para coletar e gerar informações financeiras referente a um determinado empreendimento, mostrando como está saúde dos negócios.

Muitos gestores acreditam que o sucesso financeiro se resume apenas em quanto a empresa ganha e quanto ela gasta. Dessa forma, isso deixa uma enorme lacuna ou  “pontos cegos” na sua gestão. Portanto, é necessário saber qual é o desempenho do capital investido de cada detalhe do negócio.

Aplicar os Indicadores financeiros na gestão

Nem todo indicador financeiro é igual, é preciso entender qual aspecto do negócio cada indicador afetará, para poder fazer uma análise da forma correta.

Os indicadores financeiros mais utilizados se dividem em 4 categorias principais:

  • Indicadores de estrutura: Mostra se sua empresa está com dívidas, permitindo analisar sua posição de endividamento, ou seja, quanto capital de terceiros você utiliza para financiar sua empresa. Qual a sua condição  de gerar caixa para pagar juros, cobrir as dívidas e garantir o crescimento sustentando suas atividades.
  • Indicadores de atividade: São usados para medir a velocidade com que as contas da empresa são convertidas em vendas ou caixa. Dentre eles, os mais utilizados são o giro de caixa, o giro de estoque e o período médio de cobrança.
  • Indicadores de liquidez: Utilizados para medir o quanto a sua empresa é capaz de satisfazer suas obrigações à curto prazo na data do seu vencimento. Uma empresa sem liquidez corre um grande risco de problemas financeiros por não conseguir pagar suas despesas. Os principais indicadores de liquidez são capital circulante, índice de liquidez corrente, seca e geral.
  • Indicares de rentabilidade: Eles permitem analisar os lucros, os investimentos realizados da empresa, vendas do negócio, etc. A análise vertical (um processo comparativo onde se extrai relacionamentos percentuais entre itens pertencentes a uma mesma demonstração financeira de um ano), muito útil na comparação do desempenho do negócio entre diversos períodos. Os mais usados são retorno sobre o patrimônio liquido, retorno sobre ativos e sobre vendas.

Dessa forma, podemos observar o quanto os diversos indicadores podem ir a fundo nas análises de uma empresa e apresentar com detalhes todos os pontos que precisam ser ajustados.

análise de indicadores financeiros

Principais indicadores financeiros do mercado

Utilizar os indicadores na gestão fará com que você tenha uma clareza da situação e o desempenho recente da empresa. 

Então vamos conhecer os principais, são eles:

EBITDA

Termo em inglês “Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization”, que em português significa “lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização”.  É um indicador financeiro também chamado de Lajida que demonstra o valor do fluxo de caixa operacional da empresa. É capaz de medir a produtividade e a eficiência da empresa.

Margem Bruta

Mostra quanto cada empresa lucra por cada produto ou serviço, considerando todos os gastos com a produção ou entrega e custo de venda. Com isso, você pode analisar quais empreendimentos são mais lucrativos e elaborar uma estratégia com portfólio mais vantajoso. 

Lucro Bruto = Receita total – custos variáveis

Margem líquida

Determina  o quanto de dinheiro no caixa da empresa, cada real de venda que restou após a todos os descontos, que inclui os impostos. A soma dos custos fixos e dos custos variáveis se chama custo total. 

Lucro líquido = Receita total – custo total

Margem de contribuição

A margem de contribuição é o quanto sobra da Receita obtida por meio da venda após retirar o valor dos gastos variáveis(custo variável e despesas variáveis).  Essa quantia é que irá garantir a cobertura do custo fixo e do lucro.

Para ter um resultado positivo, a  margem precisa ser sempre maior que o valor das despesas.

Ponto de equilíbrio

Ponto de equilíbrio ou ponto crítico de vendas (Break-even-point) é o ponto em que as despesas e as receitas da empresa se equilibram e deixa de dar prejuízo. Em alguns modelos de negócio, é normal levar um tempo até que a receita empate coma as despesas e o negócio ganhe estabilidade.

ROI – Retorno sobre o investimento

ROI termo em inglês Return over investment, em português, retorno sobre o investimento. Mede o retorno do capital investido na empresa, se estes dão resultados desejados ou não. Ou seja, por meio dele é possível saber quanto dinheiro a empresa está ganhando (ou perdendo) com cada investimento efetuado.
Contudo, mesmo conhecendo bem os indicadores financeiros, existem erros comuns ao lidar com eles, que são:

  • Acompanhar por pouco tempo os indicadores e já tomar decisões radicais com base nisso. Agir assim é ruim, você corre o risco de tomar decisões com base em indicativo falso. Pois, é comum que alguns resultados flutuem antes de se estabilizar. Então o ideal é ter paciência e saber quanto tempo esperar para analisar cada indicador antes de tomar decisão com base nele.
  • Deixar de documentar o histórico de resultados financeiros e focar só na análise mais recente, você não terá como saber o que melhorou e o que ainda requer ajustes. A melhor forma de documentar de forma automática é dar preferência a um bom software de gestão ao invés de planilhas.
  • Avaliar os pontos de forma isolada são também um dos erros mais comuns, pois, os indicadores afetam uns aos outros, então não devemos analisar um indicador de forma isolada, e sim, avaliar as métricas em conjunto. Assim, terá meios concretos para tomar decisões assertivas.

Conclusão

Portanto, vimos que gestão baseada em indicadores financeiros é uma das melhores formas de garantir o dinheiro investido na sua empresa se multiplique. Contudo, para isso você precisará da ferramenta certa, e é ai que entra a tecnologia e a automação.

Tenha em mente a importância das ferramentas automatizadas para gestão de sua empresa, pois algumas são indispensáveis para que os processos e as informações não se percam em um mundo de várias planilhas avulsas. 

Sem contar que a automatização é a chance de operar sempre em alta lucratividade e sucesso, pois, atividades manuais, proliferação de planilhas informais e não integradas entre os setores, diminuem a eficiência e o rastreabilidade das informações, aumentam riscos e tempo de execução de processos e tarefas.

O ERP Sienge, ajuda em tudo o que citamos até agora. Com ele, você consegue avaliar todos os indicadores financeiros mais importantes, integrar seus processos fazendo com que os setores conversem entre si, ideal para gerenciar sua obra. Veja como e sem compromisso, peça uma demonstração aos nossos consultores agora!

Fontes: Sienge e Infomoney