Desafios e soluções na Gestão de Pessoas diante do COVID-19

Publicado em 23 de abril de 2020 por Valéria França
Desafios e soluções na Gestão de Pessoas diante do COVID-19
Compartilhar

Por:

Patrícia Zogaib Villarinho Rodrigues  / Senior Business Partner – Softplan
e Rodrigo Stuani Rovaris / Coordenador de Cultura e Desenvolvimento –  Softplan

Rodrigo Rovaris e Patricia Zogaib abordam neste artigo uma questão muito importante e delicada no cenário atual, os desafios e soluções na gestão de pessoas diante da pandemia. Principalmente neste momento em que as empresas precisam ter uma grande responsabilidade em a adotar medidas de prevenção, compartilhar informações e especialmente, cuidar do equilíbrio e saúde mental de seus colaboradores.

Estamos em momentos de incertezas e inseguranças, dessa forma é necessário lidar com a situação da melhor maneira possível, se reinventar para uma boa adaptação à situação que certamente sabemos que é momentânea.

Esperamos que a experiência adotada e listada nesta entrevista ajude você e sua empresa a lidar de maneira eficaz com o bem mais precioso de sua empresa. Seus colaboradores!

Qual o papel da gestão de pessoas em caso de Epidemias e pandemias?

Está todo mundo sendo bombardeado diariamente com as notícias sobre o COVID-19, a situação como um todo tem deixado as pessoas preocupadas, ansiosas e apreensivas.

Portanto, é importante neste momento criar um ambiente de comunicação e alinhamento da empresa para com os colaboradores. Temos deixado os colaboradores informados via webinars de como estamos lidando com a crise.

A empresa se posicionando frequentemente cria um ambiente de segurança e transparência para os colaboradores. Também orientamos os nossos líderes para que sempre perguntem às suas equipes como estão lidando com a situação e como estão emocionalmente, assim podemos ter maior clareza do nosso cenário e como direcionamos as nossas ações para ajudá-los.

Como treinar, orientar a equipe com diversos perfis nessa situação emergencial?

Quanto aos treinamentos, continuamos organizando da mesma maneira, só que através de webinars. Quando é um tema que pode gerar muitas dúvidas, a sugestão é fazer em grupos menores para que os colaboradores se sintam à vontade para perguntar.

Em lives/webinars com públicos maiores, temos também a opção do chat online, onde o palestrando, ao final, lê as perguntas publicadas e responde a todos. Nesta situação, a orientação é que as equipes continuem com os seus processos de gestão: reuniões diárias, planejamento, acompanhamento das atividades e retrospectivas, utilizando as reuniões online.

Quais os desafios enfrentados pela gestão de pessoas a fim de amenizar os anseios e equilíbrio mental dos profissionais neste momento?

Acreditamos que o acolhimento emocional e a empatia são a chave para a gestão dar suporte aos colaboradores no que tange à saúde mental e equilíbrio.

É importante que gestores entendam que cada um tem uma reação diferente à crise, bem como condições estruturais familiares e físicas diferentes. Por exemplo: temos pessoas que moram com os pais, pessoas que moram sozinhas, pessoas que tem crianças e outros com cachorros e gatos. Tudo isso interfere no home office adicionado ao confinamento.

Estamos aproveitando esse momento para humanizar cada vez mais nossos colaboradores, temos acesso às suas realidades fora do ambiente corporativo e está sendo uma experiência transformadora! Entendemos que está tudo bem o cachorro latir durante uma reunião, o filho chorar ou querer brincar, ou o pai/mãe passar atrás câmera! Estamos nos conhecendo mais, confiando mais uns nos outros e estabelecendo um outro tipo de conexão.

Por outro lado, buscamos manter o contato diário, sempre perguntando como a pessoa está e como está lidando com este momento, ouvindo a resposta com atenção e entendendo, por exemplo, se tivermos uma baixa de produtividade, picos de ansiedade e stress em alguns períodos.

Acreditamos que o acolhimento emocional e a empatia são a chave para a gestão dar suporte aos colaboradores no que tange à saúde mental e equilíbrio.

É necessário a criação de uma política de trabalho, é bem aceita e executada?

Nós criamos uma política de gestão de crise com a intenção de orientar e padronizar algumas ações como, por exemplo, a estratégia de comunicação, os cuidados especiais em cada modelo de trabalho, o posicionamento da empresa até o momento, a política de home office e orientações sobre as atualizações trabalhistas.

Dessa maneira, temos um documento vivo que é constantemente atualizado com base nas novas experiências e definições. Este documento é direcionado aos líderes que o aceitaram bem e o tem executado.

As dinâmicas de trabalho são feitas de que forma?

As dinâmicas de trabalho que antes ocorriam no escritório, passaram a acontecer online. Tivemos muita agilidade e adaptação neste momento, em menos de uma semana migramos toda a empresa para o modelo home office. Continuamos atendendo plenamente os nossos clientes neste momento de crise.

Quais as medidas e prevenções mediante ao COVID-19  foram tomadas?

No próprio dia 16 de março, segunda-feira, pedimos a todos os líderes que orientassem os seus times a fazerem home office e até quarta-feira, tínhamos 100% dos colaboradores da Unidade da Construção Civil em casa.

Acreditamos que essa ação rápida foi fundamental para que não tivéssemos casos de contaminação dentro do escritório. Além disso, os colaboradores poderiam levar a cadeira ergonômica para casa, mediante agendamento prévio com a administração, com o objetivo de não gerar aglomerações.

Todos levaram seus notebooks e até desktops para casa também. O álcool em gel está distribuído por todos os cantos do escritório, aliado ao controle da circulação de pessoas pelo escritório através do bloqueio dos crachás dos colaboradores.

Paralelo às medidas de prevenção contra o COVID-19, também oferecemos atendimento psicológico individual e gratuito para os colaboradores que desejarem, aulas online de yoga e meditação. Nosso objetivo é não só manter a saúde física, mas também a mental e emocional dos nossos softplayers.

Se houver infectado no time, quais medidas a serem tomadas?

Em casos confirmados de COVID-19, o líder deverá informar os nossos técnicos de segurança e a área de recursos humanos para acompanhamento do colaborador e orientá-lo a entrar em contato com o médico da empresa que fará o acompanhamento profissional. Caso o colaborador tenha atestado, fica estritamente proibido o trabalho, ainda que remoto.

Quais medidas de incentivo, que a Gestão de pessoas deve tomar neste momento de pandemia?

Na nossa experiência, a transparência tem sido a maior medida de incentivo por parte da gestão. Nós realmente estamos expondo nossas dificuldades, próximos passos, definições por meio de webinars apresentados pelos próprios sócios e diretores para toda a empresa.

Essa prática tem sido muito valorizada pelos colaboradores, dando direcionamento e sanando muitas das inseguranças que surgem em meio ao cenário de instabilidade que estamos vivendo. Acreditamos que agir com transparência é também uma maneira de tratar nossos colaboradores com o respeito que merecem.

Haverá uma aceleração da transformação digital no trabalho após a crise?

Sim! Acreditamos que as formas de trabalho nunca mais voltarão a ser as mesmas depois do COVID-19.

Se inscreva para receber nossos melhores conteúdos toda semana


Compartilhar