CORONAVÍRUS(COVID-19): impactos e tendências na Construção Civil

Publicado em 3 de abril de 2020 por Valéria França
O Sienge possibilitou a transposição do trabalho em escritório para o home-office de um dia para o outro
Compartilhar

A pandemia causada pelo novo Coronavírus(COVID-19) já se espalhou ao redor do mundo atingindo a marca de de 1 milhão de casos confirmados nesta ultima quinata-feira(2), e 50 mil mortes, segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins(USA).

No Brasil nesta mesma data, já são 7.910 casos confirmados e 299 óbitos. Alguns estados têm tomado medidas como fechamento de comércio, bares e restaurantes, tudo isso para conter a epidemia devido a aglomerações. Portanto, a recomendação é “Fique em casa”.

Segundo o boletim de impactos da COVID-19 do SEBRAE nos pequenos negócios, é certo que toda a economia será afetada. Alguns especialistas já falam em queda de 4,4% do PIB em 2020, pior resultado desde 1962. Boletim este que traz aprendizados de outros países nos seus negócios.

Ainda segundo o SEBRAE, com base nas características da crise e observação no que tem acontecido em outros países, é possível considerar que alguns segmentos devem ser especificamente afetados. Isso por possuírem menor capital, esses negócios e as famílias que dependem deles estão especialmente vulneráveis neste momento.

Impactos, tendências e ações que podem minimizar

Segundo o SEBRAE no seu boletim de impactos da COVID-19 nos pequenos negócios, apresenta com base em pesquisa de mercado os seguintes efeitos econômicos  na indústria da construção no Brasil.

Impactos no segmento o já observado no Brasil

Queda de 6% nas buscas por itens de decoração, 10% nas buscas por imóveis e 29% nos serviços de reparo e reforma.

Tendências baseadas em outros países

No geral, a queda tende a ser maior, por não serem produtos e serviços considerados essenciais em momento de pandemia. Na Itália, a busca por imóveis caiu mais de 40% com o avanço da epidemia.

Ações que podem mitigar o impacto

Apostar em parcerias com pintores, mestre-de-obras, eletricistas, marceneiros, decoradores e arquitetos e também aplicativos de prestação de serviços. Redes sociais e tecnologias do segmento também devem ser aproveitadas e usadas para o momento de poucos clientes.

Nesse momento em que as pessoas estão em casa, pode ser uma oportunidade que eles observem a necessidade e queiram fazer pequenas reformas ou a troca do mobiliário. 

Manter a comunicação com o cliente por meio da internet   pode ser uma possibilidade e descoberta de novas oportunidades de negócio.

Termo aditivo da Sinduscon-MG e STIC BH- Marreta para enfrentar o momento do COVID-19

Os sindicatos do setor da indústria da construção de Minas Gerais e Belo Horizonte firmaram um aditivo à convenção coletiva de Trabalho – CCT 2019/2020 – convencionando medidas para enfrentamento da pandemia neste momento, entre as quais destacam-se:

  • Flexibilização da jornada de trabalho;
  • “Home-office”;
  • Antecipação de férias individuais;
  • Concessão de férias coletivas;
  • Licença remunerada com eventual compensação;
  • Redução de jornada e salários;
  • Condições de higiene.

A íntegra do termo aditivo está disponível exclusivamente para os associados Sinduscon-MG.

Trabalhos remotos na Construção Civil

Nas últimas semanas as empresas do setor da indústria da construção civil, tiveram que se adaptar a nova realidade diante da pandemia mundial que estamos vivendo.

Entretanto, empresas e equipes que se anteciparem e adaptarem nesse novo ambiente doméstico estarão preparadas para gerenciar projetos, além de preparar sua força de trabalho para o futuro.

Diante disso, estamos entrevistando diretores de empresas da indústria da construção, que por sua vez são alguns de nossos clientes Sienge no estado de Minas Gerais. Todos eles na medida do possível tentam se adaptar a nova realidade temporária de suas cidades. Principalmente no que se refere ao trabalho remoto nas áreas administrativas de suas empresas, prevenção e treinamento em suas obras.

Observamos que trabalho remoto  com as ferramentas baseadas na nuvem  como a Plataforma Sienge, tornou essencial nesse momento por possibilitar a comunicação  e compartilhamento de informações  entre o administrativo até o canteiro de Obras. Com isso, eles puderam se ajustar e se adaptarem ao Home Office facilmente.

O Sienge nos possibilitou a transposição do trabalho em escritório para o home-office de um dia para o outro. Sem ele seria impossível realizarmos tal tarefa em tão curto espaço de tempo” – Bruno (CEO Petra Engenharia)

No entanto, é tão importante o apoio mental quanto o técnico, principalmente porque as forças de trabalho remotas podem enfrentar sentimentos de desconexão e isolamento. Portanto, a aproximação da equipe por videoconferências por meio de tecnologias como  Zoom e Skype são questões a considerar nesse momento, são mais poderosas do que você pensa:

87% dos trabalhadores remotos se sentem mais conectados através uso de videoconferência”, diz Webex .

Intervalos regulares e paciência

Não se esqueça das quebras, intervalos regulares são fundamentais para a saúde mental e a produtividade. Em um ambiente remoto, é fácil ser sugado para o trabalho por muitas horas seguidas sem sair do escritório provisório. Na empresa você tende a se mover e andar com frequência, falar com pessoas diferentes, etc. Então, procure se mexer de vez em quando!

A Paciência também é um valor crítico para demostrar e incentivar, sabemos que muitos colaboradores do setor são novos na tecnologia remota. As pessoas da indústria da construção são incrivelmente inteligentes e trabalhadoras. Se você lhes der uma ferramenta, eles descobrirão, seja amanhã ou daqui a duas semanas.

Ações que devem ser tomadas nas obras que estão sendo tocadas normalmente

A pandemia exige conforme as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) que todos que podem, devem ficar em casa. Sabemos que vários serviços essenciais não podem  parar e que isso seria extremamente prejudicial.

Nas cidades onde as obras estão sendo tocadas, seguem algumas recomendações a serem tomadas:

Definir responsabilidades

É recomendável centralizar na equipe técnica de Segurança e Saúde do trabalho a responsabilidade pela execução e fiscalização das ações de prevenção ao COVID-19.

Limpar constantemente com cloro ativo as seguintes áreas

  • Maçanetas
  • Torneiras
  • Locais de manuseio frequente

Limpar a cada 2 horas com cloro ativo as áreas de convivências

  • Banheiros físicos ou químicos
  • Pias
  • Sanitários
  • Bebedouros
  • Refeitório
  • Vestiário
  • Relógio de ponto
  • Catraca
  • Equipamentos de trabalho(reforce a orientação para os EPI’s sejam higienizados com frequência)
  • Corrimãos
  • Demais superfícies de contato frequente

Orientar e incentivar a higiene pessoal

  • Disponibilizar álcool gel 70% em todos os locais da obra e escritório
  • Verificar frequentemente se há sabonetes nos banheiros e tanques
  • Orientar os trabalhadores para lavar as mãos com frequência e não tocar o rosto (olhos, nariz e boca), ou seja, dissemine orientações sobre higiene e prevenção do COVID-19 
  • Ficar em casa caso o funcionário suspeite de contaminação pelo coronavirus. E que devem procurar uma unidade de saúde (segundo a Lei 13.979/2020, considera falta justificada, sem qualquer prejuízo ao trabalhador

Ajustar a empresa com ações, prevenções e com estilo de trabalho remoto,  é um território novo para muitos, inclusive para o setor da indústria da construção.

Contudo, lembre-se que quanto antes sua empresa  adaptar a esses desafios, você estará preparando ainda mais a sua força de trabalho para o futuro.

Estamos em fase inicial da pandemia aqui no Brasil e quanto antes você adequar e tentar mitigar a situação, mais rápido venceremos esse inimigo invisível juntos!

Fontes: Sienge, SEBRAE, Sinducon-MG, Constructionblog

Se inscreva para receber nossos melhores conteúdos toda semana.


Compartilhar